quinta-feira, 21 de junho de 2012

Argentina e Paraguai

De moto com destino a Argentina e Paraguai. Eu, Ele e meu amigo Marcos Limírio (Marquinhos), saímos dia 24/6/12 com destino à tríplice fronteira: Argentina, Paraguai e Brasil. Na verdade, o destino oficial, e inicial, era Foz do Iguaçu. Mas resolvi denominar como sendo minha primeira viagem internacional de moto! E não estou mentindo.

Olha lá a placa...
Não deixem de ver os vídeos no final do post... Garanto que não se arrependerá...
.
Objetivo: preparatória para a viagem até Ushuaia, prevista para novembro/2012. O percurso total, de ida e volta, foi de 3.200km, correspondente, aproximadamente, à metade da viagem até o Fim do Mundo, que são 6.800km... Foi um excelente teste. No que diz respeito às minhas condições físicas e ao planejamento, a viagem está confirmada.
.
Como foi a viagem? 
.
No primeiro dia rodamos 720km, saindo às 7h30 do posto Playtime. Só paramos 260km após, para abastecer, depois de Goiânia. O Marquinhos não para... Seguimos viagem e só paramos no trevo que vai para Uberlândia (460km de Brasília), para abastecer. Estrada duplicada até este ponto. Contra a vontade do Marquinhos, almoçamos. Eram 12h30. Seguimos viagem, onde tinha várias barracas vendendo abacaxi. Dei vários sinais para o Marquinhos, que ia à frente, parar. Como ele não parou, parei, comi um abacaxi. Ele voltou, comemos mais um. Chegamos em São José do Rio Preto/SP, às 16h30. Já havíamos decidido pernoitar sempre em quartos separados e confortáveis, para evitar o estresse (leia as dicas...). Descansamos e, à noite, andamos por mais de uma hora procurando um lugar para jantar. Comemos uma pizza... Incidente do dia: a pedaleira da moto do Marquinhos soltou a borracha (e olha que é original Harley-Davidson)... Mas não impediu que prosseguíssemos.
.
No 2° dia, 25/6, saímos 9h30. Paramos para abastecer e saímos de SJRP às 10h. Pegamos o primeiro pedágio. 100m depois, saímos da rodovia. O certo seria o pedágio ser após o entroncamento... Mas isto é o Brasil... Pegamos a rodovia com nome de Assis Chateubriand. Nome pomposo, mas rodovia ruim. Alguns buracos, mas sem maiores problemas. Passamos por um acidente grave, que tinha acabado de acontecer (aqui). Se tivesse sozinho com certeza teria parado para ver... Mas o Marquinhos não para, meu. Acho que ele dorme na moto, só pode... 260km rodados e ele continua... A previsão era pernoitar em Maringá. Mas passamos por lá, pegamos uns 20km de estrada padrão americano. Pedágio a 4 reais daí pra frente. Chegamos em Campo Mourão às 16h50, aproximadamente. Uns 3km antes paramos numa borracharia para fixar a borracha da pedaleira. Chegamos no hotel e fomos comer alguma coisa. Estava morto de fome. A partir deste dia não almoçamos mais na estrada. Segundo meu companheiro de viagem, um chocolate e um gatorade é suficiente... Emagreci 3 quilos. O Marquinhos não para, meu Deus... Nem para comer. Enfim, comemos duas costelas maravilhosas e fomos dormir. Devido à costela (não a minha, mas a que comi) não consegui dormir....
.
No 3° dia, 26/6, saímos de Campo Mourão às 8h45 e chegamos em Foz às 13h. Três pedágios. Hotel já estava escolhido, mas tentamos outros... Perdemos 1h30... Acabamos ficando no escolhido. Aprendizado: a escolha do hotel deve ser feita antes. Por mais que tenha outros melhores, o que sempre terá. Tomamos banho e fomos para a Argentina. Ponte, Dutty Free, Puerto Iguazu, onde comemos uma carne dura pra caramba... Acho que foi porque pedi um vinho brasileiro para o garçon... Demos também uma passada rápida no cassino e fomos dormir.
.
No 4° dia, Ciudad del Leste... Marquinhos comprou uns perfumes, comprei uma roupa de cordura (que depois não gostei...) e uma mala com a qual tinha sonhado para minha viagem até Ushuaia. A cidade é uma terra de ninguém. Deus me livre. Seguranças particulares armados até com escopeta. Muitos camelôs nas ruas, mas tem umas lojas legais... Conhecemos um casal que estava voltando de Bonito/MS de moto (Carlos e Márcia de Floripa). Pessoas finíssimas. Voltamos, almoçamos numa padaria e fomos procurar um Banco do Brasil para sacar uma grana... Caminhamos por mais de uma hora.
.
No 5° dia, Itaipú e as Cataratas do Iguaçu. Demos uma passada rápida no marco das três fronteiras. Tivemos um excelente dia. À noite arrumamos as malas para sairmos cedo.
.
No 6° dia, estrada. Viagem direta até S.J. do Rio Preto (880km). Saímos 7h30 e chegamos 19h. Ficamos em dúvida em Maringá por onde continuaríamos. Nos perdemos por um tempo. O encontrei novamente tentando arrumar a pedaleira que soltou de novo... O estudo antecipado do percurso é importantíssimo. Perdemos tempo também com os pedágios e com as obras nas estradas. Chegando em S.J. do Rio Preto errei o caminho até o hotel também... Meu limite é 750km por dia (veja as dicas). Jantei sozinho... Comi cebola... Não posso. Tive que ir até a moto, durante a noite, para pegar um comprimido para dor de cabeça. Acho que o Marquinhos já estava cansado. Não sei se da viagem ou de mim...
.
No 7° dia, saímos 9h e chegamos em Brasília às 17h. 720km em 8h... Média de carro... Mas não passamos de 120km/h. Só não paramos, a não ser para abastecer. Fomos direto para o futebol, no milionários... Sem almoçar...
.
Conclusão: Excelente viagem. A melhor que fiz até hoje. Aprendi a fazer regime durante a vigem... Na volta fiquei a base de barra de cereais... O Marquinhos, como já tinha dito alhures, é um excelente companheiro de viagem. E muito experiente tambem. Mas tem suas manias. Mas estas, só direi aos amigos comuns, quando os encontrar no churrasco que estamos programando há uns oito meses, né José Sette? haha.
.
Não deixem de assistir aos vídeos a seguir...

.
.

.

.

2 comentários:

  1. Olá Celso, tudo bem? Agora que fui ver o video de fotos da viagem ao Paraguai, que por sinal ficou bem legal, ainda mais por ter inserido foto nossa.
    Grande abraço, Carlos e Márcia (Floripa).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Carlos. Tudo bem e com vocês? A foto de vocês não poderia faltar. A propósito, a roupa que comprei naquela loja, só usei uma vez.... kkk Coisa do Paraguai. Abraços em você e na Márcia. Apareçam...

      Excluir

Se preferir, comente como ANÔNIMO. É a última opção na caixa abaixo [Comentar como]... Mas se identifique no final da mensagem, para que eu possa saber quem é... Se possível, coloque um e-mail. Obrigado.