quarta-feira, 19 de setembro de 2012

De moto com destino ao Rio Harley Days - a viagem

Relato da viagem de moto com destino ao Rio Harley Days:

13/9: Após o café da manhã e o último briefing, saímos da Brasília Harley-Davidson pontualmente as 7h05, escoltados por seis batedores da PRF. Durante a viagem, três deles iam à frente, determinando aos caminhoneiros que utilizassem o acostamento dando passagem ao comboio.


Outros três vinham atrás, impedindo a passagem dos veículos. Se revezavam nesta tarefa. Praticamente ninguém ultrapassou o comboio até Sete Lagoas, o que nos deu mais segurança. Viagem tranquila, com apenas dois pequenos incidentes: o burrinho do freio da moto do inspetor Heleno e o pedal do câmbio da moto de um dos batedores deram defeitos. Trabalho para o Bruce!







Hotel Solar do Engenho - banheiro



Oração - rotina antes de todas as saídas
14/9: Saímos de Sete Lagoas às 7h15. Passamos tranquilos pelo anel rodoviário em BH, onde trafegamos até pelo acostamento, autorizados e escoltados pela PRF, claro! Nos encontramos com o grupo de BH. Lá, o burrinho da moto do Heleno foi trocado, com apoio da BH Harley-Davidson. No ultimo pedágio, como combinado, nos juntamos em um só comboio e seguimos até o hotel escoltados pela Polícia do Exército, que interditou a vermelha. Me senti em uma comitiva presidencial! Chegamos, descansamos e à noite fomos, eu e minha esposa, que veio de aviao, para o evento, onde encontrei meu filho Reinaldo, que estava no Rio a trabalho, juntamente com o primo Samuel. Visitamos todos os estandes, onde tinha muita coisa bacana. Vi e me apaixonei pela CVO. Motocicleta fantástica, mas muito cara. Mais de cem mil reais. Fui dormir às 1h30, muito cansado, claro. E tínhamos que estar prontos no hall do hotel às 9h para o passeio pelo Rio.



15/9: Havíamos combinado de dar umas voltas de moto pelas belas avenidas do Rio, almoçar e quem sabe curtir uma praia. Mas uma infeliz ideia nos levou até o restaurante Point de Grumari. Restaurante muito bom, com uma vista fantástica. Tive o prazer de almoçar com o Pedro Humberto e o Rui, que foram até Ushuaia em janeiro. Contaram as aventuras da viagem e me deram valiosas dicas, que me deixaram mais animado para fazer esta viagem. No entanto, a estrada até o restaurante definitivamente não foi feita para o tipo de motos que pilotávamos... Um motorista maluco, em sentido contrário, tentou me derrubar numa curva fechada. Quase conseguiu mas desviei a tempo. Sorte melhor não teve o Alexandre que vinha logo atrás. Caiu numa pequena vala e sua noiva machucou o pé. Graças a Deus nada grave. Mas ficamos por um bom tempo  tensos e preocupados. Na volta, outra infeliz ideia (da mesma pessoa), que o nosso experiente capitão de estrada acatou, nos levou de volta até o hotel pela linha amarela... De acordo com o sujeito, era melhor para não pegarmos engarrafamentos, se fossemos pela praia... Ele errou o caminho e fomos parar numa vila ainda não pacificada! Imagina 17 motos Harley no meio daquele funk... Mas serviu para aprendermos que nem todas as sugestões podem ser acatadas. À noite, show do Skank! Muito bom. Antes, encontrei o PH Arthur, que estava vendendo seu livro da viagem a Ushuaia. Comprei, claro... Só que estava sem dinheiro vivo! Ele, gentilmente, confiou em mim e me deu o número da conta para fazer o depósito! Fui dormir a uma hora da madrugada! Cansado...







16/9: Prontos para o desfile às 9h, como combinado. Saímos em comboio até a concentração. Minha esposa encostou a panturrilha na moto e já viu, né? Batismo na certa!! Esperamos mais de uma hora, num calor de 40°! Procurei o Cassim, em busca da bandeira do Galo. Fácil achá-lo. Sua moto é toda laranja! Bandeira nas mãos, saímos para o desfile. Baita desorganização! No primeiro cruzamento, uma galera ficou para trás, inclusive eu e o presidente do HOG de Brasília, Jorge Orro! Os batedores desta vez falharam feio. Alcançamos o pessoal somente na entrada da Marina. Depois, hotel. O motorista gentilmente cedido pela KMon transportes levou minha esposa e mais duas esposas até o aeroporto. Fui com o Pedro Humberto. Ele até o Leblon e eu até o Recreio, onde pernoitei no apartamento do meu primogênito! Claro que antes jantei e tomei umas geladas com o meu primo Samuel, que ficou apaixonado pelas motos Harley. Assistimos nosso galo perder para o Náutico.



17/9: Sai do Rio às 7h. Meu filho Reinaldo tentou me acompanhar até Lorena. O transito da via amarela não permitiu. Fiquei 60km à frente. Tirei o forro da jaqueta e tomei água gelada (o que estourou minha garganta). Estrada com curvas espetaculares até Poços. Cheguei 16h. Cansado, com fome e com a garganta inflamada. Descansei, jantei e fui dormi. Antes fui até a farmácia comprar pastilhas. Não dormi bem. Dores no corpo e a dor na garganta...

18/9: Havia previsto sair de Poços de Caldas às 7h. Não deu. Sai às 9h. Estava cansado e com a garganta doendo. Estrada excelente. Curvas perigosas apenas na saída de Poços. O restante, sem elas. Não resisti à fome e almocei no Graal, uma rede de restaurantes. Cheguei exatamente às 15h em Uberlândia. 480km rodados. Calor infernal. Deixei minha jaqueta entreaberta e quase perdi minha carteira e o Iphone, devido ao vento. O zíper abriu e a jaqueta voou para trás. Parei, fechei e segui. Esqueci de trancar o capacete. Parei novamente. Fora isso, viagem tranquila. 130km/h foi a tocada!

Vejam mais fotos:











Na estrada para Poços de Caldas


Eu e meu filhão - Reinaldo. Futuro Harleyro


Batismo de fogo da minha esposa...
Foto do D Lucas Barbosa
Foto do D Lucas Barbosa
Aguardem o filme.... Tá dando muito trabalho... Mas até o próximo Rio Harley Days estará pronto...

2 comentários:

  1. Show!
    Viagem maravilhosa.

    ResponderExcluir
  2. Jorge adorei as fotos. ainda bem que tem alguem do grupo que gosta de fotografar e filmar assim temos como curtir o pós viajens. beijos Denise

    ResponderExcluir

Se preferir, comente como ANÔNIMO. É a última opção na caixa abaixo [Comentar como]... Mas se identifique no final da mensagem, para que eu possa saber quem é... Se possível, coloque um e-mail. Obrigado.