quarta-feira, 30 de outubro de 2013

1. De Moto Com Destino a Ushuaia - O roteiro

O desejo de viajar de moto com destino ao fim do mundo nasceu em abril de 2012, quando, numa viagem para Morrinhos, conheci o Grande Cacique Fazedor de Chuva Dolor.
Mapa de ushuaia

Em abril mesmo comecei o planejamento para fazê-la em dezembro de 2012. Contudo, diversos fatores não permitiram que realizasse a viagem naquela época. Principalmente por uma infecção que peguei no dedo indicador direito, que só foi ficar bom no mês de março desse ano. 

Mas não me chateei e nem desisti. Entendi o recado do meu Companheiro de viagem que não seria possível realizá-la naquele momento porque não estava devidamente preparado para uma jornada dessa magnitude. Tanto no que diz respeito à moto, que acabara de comprar e que apresentou um vazamento de óleo pouco menos de quinze dias antes da data prevista para o início da viagem, quanto pela minha pouca experiência em viagens longas de moto. O máximo que tinha ido era até Foz do Iguaçu. Nem GPS eu tinha!! Não que ele seja essencial, mas nos ajuda a errar menos.

De novembro de 2012 até hoje realizei várias viagens pelo Brasil, todas preparatórias. Foram mais de 27 mil km em menos de um ano. Sem contar os 4.500km percorridos na histórica Route 66, no último mês de setembro. Hoje estou maduro para realizar a viagem que idealizei em abril de 2012. 

Se não tiver nenhum problema com a moto nem de saúde, comigo ou com qualquer um dos membros de minha família, saio dia 15/11. Por enquanto, nós três: eu, a Guerreira e Deus

Viajar muitos dias de moto nunca é fácil. Na medida em que o dia de dar partida na moto e iniciar a viagem se aproxima, vamos ficando mais ansiosos, preocupados, e, confesso, sempre fico em dúvida se devo ir ou não! No caso dessa viagem pra Ushuaia, tudo isso é potencializado. Afinal serão 37 dias longe de tudo e de todos. 

Para amenizar essa ansiedade e a dúvida se vou ou não, tenho dito pra mim mesmo: Não vou para Ushuaia... Vou só até Goiânia... Chegando lá, se estiver tudo bem, vou até São José do Rio Preto... Lá, se não tiver mais dúvidas, vou até Marília... E assim, vou indo, local após local, dia após dia... Se em algum desses locais a dúvida ainda estiver presente, volto pra casa. Sem nenhum constrangimento. Se já estiver percorrido a metade, volto pelo caminho de volta, ou seja, termino a viagem!

Adoto essa estratégia em todas minhas viagens. Funciona. O destino final, que é o objetivo da viagem, será sempre alcançado vencendo-se os destinos parciais. Como sempre diz meu guru, GCFC Dolor, a ansiedade e as dúvidas desaparecem assim que ligamos a moto e saímos de casa.

ROTEIRO

Venho estudando o roteiro desde maio de 2012. Fiz várias pesquisas sobre as estradas e as cidades por onde passar. Há muitos lugares imperdíveis. Porém, se for visitar todos, a viagem durará uns 50 dias. Quero fazer no máximo em 38. Assim, excluí alguns locais. O difícil foi escolher quais... Mas escolhi de acordo com minhas preferências. Sabe como é, cada um tem as suas...

Resolvi fazer o percurso passando primeiro pelo Chile. Um dos motivos foi deixar o vento da Patagônia, que sempre me assustou, para a volta. Segundo relatos, é necessário rodar com a moto inclinada a 45°. Quando chegar lá, estarei  devidamente adaptado com tudo e creio não ter maiores dificuldades. O outro motivo foi saber que o Los Caracoles estará fechado durante o dia no sentido Chile-Argentina. E esse é um trecho imperdível.
Foto da internet
Não vou detalhar aqui o itinerário, como, por exemplo, onde irei parar para abastecer, por onde vou passar, qual hotel vou dormir, etc. Com exceção de algumas poucas localidades na Argentina, não terei problemas com combustíveis. Hotéis, nessa época, não serão o grande problema. Desta forma, poucas reservas serão feitas com antecedência. 

Isso porque, tenho como regra, replanejar os próximos dois dias durante uma viagem, de acordo com minhas condições físicas, das estradas, da Guerreira e até devido ao tempo gasto nas paradas ao longo da estrada. Dessa forma, poderei alterar meus locais de pernoite, bem como os locais de permanência e até por quais estradas passarei. Liberdade é tudo pra mim, principalmente quando estou viajando.

No resumo abaixo, cada cidade representa um provável local de pernoite. Clicando sobre cada uma delas (sugiro fazer isso depois), você será direcionado para um link onde poderá ver os detalhes da rota, desde a cidade anterior. Poderá visualizar fotos das rodovias por onde deverei passar, as distâncias e tempo entre os locais, a quantidade de combustível necessário, além de fotos dos pontos de interesse. Utilizei o site www.triplocus.com  para o detalhamento da rota, o qual recomendo. Como todos os demais, ele também não é perfeito. Para conferir, utilizei o googlemaps, velho conhecido de todos e o Ruta0.com. Esse, para mim, também é sensacional. Indica se a estrada é asfaltada, se é autopista, dá sugestões de hotéis, condições climáticas, etc. Finalmente, adquiri, recentemente, o último lançamento da Garmin: GPS Zumo 390LM, que indica o caminho que possui mais curvas. Qual motociclista não gosta disso?

Os números entre parêntesis representam a distância da cidade anterior e o acumulado desde Brasília. Em vermelho, os mais longos.

IDA. Saída de Brasília dia 15/11, às 7h30:

Marília (920/920), Foz do Iguaçu (700/1.620), Corrientes (650/2.270), Santa Fé (540/2.810), Villa Carlos Paz (400/3.210), Mendoza (615/3.825), Vina del Mar (405/4.230), Santiago (130/4.360), Osorno (900/5.260), Villa La Angostura (160/5.420), Esquel (365/5.785), Comodoro Rivadávia (600/6.385), Rio Gallegos (780/7.165), El Calafate (310/7.475), Rio Gallegos (310/7.785), Ushuaia (580/8.365). Chegada prevista para 5 de dezembro. Serão 21 dias de viagem, sendo 15 de estrada.

Permanência obrigatória nas seguintes cidades:

1) Villa Carlos Paz: Entre outras atrações, vou percorrer o caminho das 100 curvas

Imagem da Internet
2) Vina Del Mar, importante comuna turística do Chile, conhecida como cidade jardim.
Foto da internet.
3) Santiago: Fazer revisão na moto, que estará com 42.500km.  

4) El Calafate, onde visitarei o Glaciar Perito Moreno:
Imagen da internet.
Terei um dia disponível para uma parada extra, talvez em Foz do Iguaçu ou na região ao longo da espetacular Ruta Internacional 215 entre Osorno e Villa Angostura:

Em todo o percurso de ida, o que mais me apavora, não é o rípio nem o vento da patagônia. É o Túnel Cristo Redentor, entre Mendoza e Vina del Mar. Isso porque sou meio claustrofóbico e o túnel tem mais de 3km de extensão, muito estreito, baixo e com pouca luminosidade. Qualquer coisa, fecho os olhos e vou em frente...


Imagem da internet
VOLTA (saída de Ushuaia dia 8 de dezembro):

Rio Gallegos (580/8.945), Caleta Olívia (710/9.655), Puerto Madryn (520/10.175), Bahia Blanca (700/10.875), Buenos Aires (660/11.535), Montevidéu (Farei esse percurso via Buquebus), Punta Del Diablo (300/11.835), Porto Alegre (570/12.405), Itajaí (550/12.955), Curitiba (220/13.175), Ribeirão Preto (720/13.895), Brasília (720/14.615). Devo estar em casa dia 21 de dezembro, sábado.

Permanência nas seguintes cidades:

1) Puerto Madryn. Visitarei a Península Valdez, área natural com abundante fauna, composta de baleias francas, elefantes marinhos, pinguins, ilhamas, etc. Será que verei uma baleia??
Imagem da internet

2) Porto Alegre, onde farei revisão de 48 mil km na Guerreira, que deverá estar com 50 mil... De Porto Alegre até Itajaí devo passar pela RS-389, conhecida como Estrada do Mar, entre Osório e Torres.

3) Itajaí, onde pretendo visitar, novamente, a sede internacional dos Fazedores de chuva.
Foto do meu álbum do flickr.
Esse roteiro foi pensado também para poder iniciar alguns desafios dos fazedores de chuva. O primeiro, e mais importante, é a própria ida a Ushuaia, onde cumprirei a primeira perna para me tornar um Grande Cacique Fazedor de chuva. Alaska talvez em 2014, na época da copa...

Juntando o útil ao agradável, não iria perder a oportunidade de passar por Chuí, iniciando o desafio Cardeal Fazedor de Chuva, exatamente pelo ponto mais extremo do Brasil, ao sul.

Passarei também por Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba e São Paulo, cumprindo as primeiras etapas do desafio Bandeirante Fazedor de Chuva, começando também pelo sul desse nosso imenso país.

Todos poderão acompanhar essa viagem da seguinte maneira:

1) Por esse blog, que pretendo atualizar diariamente (vou tentar). Aqui você poderá ler os relatos, ver fotos, fazer seus comentários, perguntas, etc. Fiquem à vontade.

2) Pelo twitter. Não é necessário ser cadastrado, a não ser que deseje se comunicar comigo por ele. Acesse www.twitter.com/viagensdemoto. Lá será postado, automaticamente, via satélite (spot messenger), minhas posições diárias, que você poderá ver no googlemaps. Aqui no alto à direita do blog tem um link direto para ele. Será interessante...

3) Pelo meu flickr, onde postarei todas as fotos.

4) Pelo site dos fazedores de chuva. www.fazedoresdechuva.com. Lá, para interagir, será necessário se cadastrar.

4) Pelo meu grupo no facebook. Motos e Motociclistas. Peça para ser adicionado. Será um prazer.


Algumas considerações finais:

Muitos me perguntam por que eu vou sozinho. Sempre respondo que JAMAIS viajo sozinho. Sempre viajo com Deus, me guiando, me orientando e me protegendo. Há melhor companhia? Além d'Ele, é muito difícil encontrar um amigo que possa fazer essa jornada na mesma época que eu. Tem outros fatores também, como condições financeiras, não ter a moto adequada, etc. E decidi, há mais de um ano, que não deixarei de realizar meus sonhos e fazer minhas viagens por falta da companhia de amigos.

Quanto à minha esposa, a qual gostaria imensamente que fosse conosco, infelizmente ela não pode, por vários motivos. O principal deles é que temos duas filhas que ainda dependem muito de nós e não podemos deixá-las sozinhas. Irresponsável basta eu!! Por outro lado, confesso que, se ela fosse comigo, minha preocupação seria triplicada. Deus sabe o que faz...

Com algumas exceções (8 dias, assinalados em vermelho nas distâncias nos roteiros), rodarei menos de 700km por dia. Às vezes menos de 400. Devo pilotar de 7 a 9 horas por dia. Sem pressa. Sairei cedo, mas não de madrugada, para chegar cedo nos locais de pernoite. Dessa forma terei tempo suficiente para fazer um passeio de reconhecimento no local e descansar o necessário para o dia seguinte.

Após sair do Brasil, para não correr qualquer risco, em todos os postos de combustíveis que abastecer perguntarei a distância do próximo posto.

Não poderia deixar de mencionar que os maiores incentivadores dessa viagem foram o GCFC Dolor e o GCFC Osmar, que inclusive me deram valorosas dicas. Obrigado, irmãos FC's.

Finalmente, o convite para me acompanhar está feito. Pelo menos por alguns trechos. Só não mudarei o roteiro. A não ser que me convençam...

O meu amigo atleticano Ricardo Calembo já confirmou que me dará o prazer de sua valorosa companhia até a entrada para Morrinhos, onde ele dará início ao desafio Valente Fazedor de Chuva. Alguém mais? Em outro trecho da jornada?

Finalizando, que Deus nos proteja. 
A Guerreira:

10 comentários:

  1. Boa viagem!!!!!! Vai com DEUS que tudo é possível !!!!!
    Nós aqui invocaremos a proteção divina e acompanharemos... paciência noutra jornada quem sabe vou .
    Abraços
    Marcão

    ResponderExcluir
  2. Uhuuul muito legal! Amo você,
    Beijos da sua filhinha linda

    ResponderExcluir
  3. Sua viagem será fantástica, emocionante e feliz. Fico muito feliz por você também. Sucesso total meu amigo! Fique em paz. Cristal.

    ResponderExcluir
  4. Sucesso na empreitada, FC amigo. Fevereiro serei eu a perseguir o mesmo destino. Vou acompanhar, par e passo, sua viagem.

    ResponderExcluir
  5. Muito legal Celso!!

    Daqui do trabalho...acompanhando os relatos...cada foto!
    Posso imaginar a sensação de liberdade de uma viagem assim!

    A foto em que você senta no banco do garupa e coloca a moto no piloto automático, é o máximo! Sensacional!

    Henrique Glaeser

    ResponderExcluir

Se preferir, comente como ANÔNIMO. É a última opção na caixa abaixo [Comentar como]... Mas se identifique no final da mensagem, para que eu possa saber quem é... Se possível, coloque um e-mail. Obrigado.